Médico que examinou o braço ferido da estudante acredita que os arranhões podem ter sido provocados por um bocal de caneta

PORTO SEGURO – A estudante do Colégio Antonio Ricaldi Thaslhane Silva Leal, 18 anos, conhecida carinhosamente como Lane, esteve na redação do “Bahia Dia Dia” para esclarecer que, de fato, ela foi agredida por um colega, de prenome Wagner, durante uma discussão banal na sala de aula e não durante apresentação de trabalho escolar, como foi noticiado por este site.

Lane também afirma que os arranhões em seu braço não foram provocados por um estilete, mas por um objeto que ela não soube identificar. O médico que a examinou acredita que os ferimentos podem ter sido causados por um bocal de caneta.

A estudante ressaltou ainda que o seu celular não foi espatifado no chão, mas quebrado pelo agressor com as mãos. Ela registrou queixa do caso na delegacia. Do Bahia Dia Dia