Renata Veríssimo, da Agência Estado  

BRASÍLIA – A criação líquida de postos de trabalho formais em abril totalizou 305.068, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 17, pelo Ministério do Trabalho. Esse resultado é o melhor para meses de abril e o segundo maior de toda a série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) iniciada em 1992. O recorde é de junho de 2008, quando a geração líquida de empregos com carteira assinada foi 309.442.

Segundo o Ministério, no primeiro quadrimestre de 2010 foram gerados 962.327 postos de trabalho formais, constituindo o melhor quadrimestre de geração de empregos na história do País.

O número de contratações em abril foi de 1.660.075, enquanto as demissões no mês somaram 1.355.007. Ambos, os maiores resultados para o mês de abril.

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, estimou que a geração líquida de empregos no mês de maio ficará entre 240 mil e 280 mil novos postos de trabalho. Segundo ele, o resultados será menor que em abril por questões sazonais. Lupi informou que em apenas duas ocasiões – em 2004 e 2009 – o mês de maio teve um resultado maior que abril.

Além disso, segundo o ministro, no primeiro quadrimestre a geração de emprego foi forte porque, além do crescimento que já haveria este ano, houve uma recuperação dos postos de trabalho que foram fechados em 2009. Lupi reafirmou a sua estimativa de que 2010 serão gerados 2,5 milhões de novos postos de trabalho, descontadas as demissões. A previsão inicial do Ministério era de criação de 2 milhões de novas vagas. No dia 1º de maio, Dia Mundial do Trabalho, Lupi divulgou a revisão para cima das estimativas.