Agência Brasil

  O Juiz da 2ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal, Álvaro Luís Ciarlini, determinou nesta sexta-feira o afastamento da deputada Eurides Brito (PMDB) da vaga que ocupa na Câmara Legislativa do Distrito Federal até o fim das investigações de seu envolvimento no esquema de pagamento de propina no governo do Distrito Federal desarticulado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.
A deputada é uma das suspeitas de envolvimento no chamado “Mensalão do DEM”. Em uma das gravações das investigações, Eurides Brito aparece recebendo dinheiro do então Secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, Durval Barbosa, e guardando em uma bolsa.
A decisão atende a uma ação cautelar ajuizada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Território, que justifica o pedido de afastamento da deputada por ela responder a processo de improbidade administrativa.

Ao determinar o afastamento de Eurides Brito do cargo de deputada, o juiz afirma que existem fortes indícios do envolvimento da parlamentar no esquema de propina e que sua permanência na Câmara Legislativa pode permitir que ela continue a ser favorecida pela “organização criminosa instalada na capital da República”.

“O Distrito Federal, ao que parece, foi dominado por uma grande e complexa rede criminosa que perpetrou uma série de graves delitos que agora necessitam de apuração e de punição exemplar”, disse.

Redação: Marielly Campos/ E-band