Petista Guilherme Menezes continua com seu nome incluído na lista de políticos baianos “Ficha Suja”, do site da Transparência Brasil

por Evantro Matos, do Tribuna da Bahia

Sobre matéria publicada na edição da última sexta-feira, 07, na Tribuna da Bahia, que apresentou os nomes dos políticos baianos incluídos na lista “Ficha Suja”, do site da ONG Transparência Brasil, o ex-deputado federal e atual prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes (PT), rechaçou as acusações. Ele apresentou documentos que o isentam de qualquer condenação referente às denúncias por improbidade administrativa que motivaram a inclusão do seu nome na lista.

De acordo com os documentos, o nome de Menezes aparece na lista em decorrência de suposta existência de irregularidade na aplicação de verbas públicas oriundas dos convênios CRTBA 16.001/1997 e 48.004/1998, firmados entre o Incra e o município de Vitória da Conquista. O processo foi julgado no Supremo Tribunal Federal (STF) em razão de Guilherme ter sido diplomado deputado federal à época.

Menezes disse que a ação que motivou a inclusão do seu nome na lista foi iniciada em 1998 pelos vereadores da cidade por questões políticas. “Eu tinha cinco vereadores e a oposição tinha 14. Então, eles acharam que era fácil me afastar”, frisou. Ele também explicou sobre a permanência do seu nome no site da ONG Transparência Brasil. “Entrar ali é fácil, mas é difícil para sair. É muito fácil tentar sujar o nome de uma pessoa, mas é mais difícil limpar”, disse.

“Parece que uma mentira vale mais do que um milhão de verdades. Mas eu estou tranquilo. Nesse caso, até as testemunhas de acusação foram favoráveis a mim”, destacou. O prefeito de Vitória da Conquista disse ainda que tanto o ministro Joaquim Barbosa (STF) quanto o procurador-geral da República, Antônio Fernandes de Souza, foram favoráveis ao arquivamento das denúncias contra ele. Contudo, Menezes lamentou o quadro de denuncismo na política nacional.