Valmar Hupsel Filho l A TARDE

Vitória da Conquista – O pedido de férias da promotora de justiça da promotoria regional de Vitória da Conquista, Genísia Oliveira, foi aceito pelo Ministério Público. A partir desta quarta-feira, 12, a promotora se afasta oficialmente das investigações sobre a autoria da morte de 11 pessoas e desaparecimento de três adolescentes em Vitória da Conquista. O promotor Marcelo Pinto assumirá as investigações.

Na manhã desta terça, 11, cerca de  60 familiares, amigos e colegas de corporação dos 10 policiais presos preventivamente saíram novamente às ruas de Vitória da Conquista para protestar contra a prisão dos PMs. Fizeram paradas de 15 minutos para discursos Uma terceira manifestação está agendada para quinta, 13, com a promessa de fechar a BR-116, que corta o município.

“Vamos parar o Brasil para protestar contra estas prisões arbitrárias”, bradou o presidente da Associação de Policiais, Praças e Bombeiros Militares (Aspra), Marcos Prisco. Ele questionou a operação feita pela Secretaria da Segurança Pública para prender os policiais, na última quarta-feira. “Utilizaram a tropa de choque para prender policiais que se entregaram voluntariamente”, disse.

Os manifestantes saíram da Praça da Saudade e seguiram em direção ao centro da cidade. O Centro de Assistência ao Policial Militar (JUSPM) já deu entrada ao pedido de habeas corpus em nome dos PMs Handerson Menezes Santos, Evandro Andrade Costa e os irmãos Cristiano Meira Santos e Dilsolan Meira Santos. O pedido está sendo analisado pelo desembargador Mário Alberto Hirs.