Do R7, no Rio

 

Wilton Júnior/Agência Estado
Foto por Wilton Júnior/Agência Estado
De janeiro a março, Estado do Rio registrou 1.414 homicídios dolosos

O número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) caiu 16,6% no Estado do Rio de Janeiro nos três primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com estatísticas da violência divulgadas nesta quarta-feira (12) pelo ISP (Instituto de Segurança Pública). Segundo o ISP, de janeiro a março, foram registrados 1.414 casos em 2010 contra 1.695 em 2009. Diminuíram também as ocorrências de latrocínio (roubo seguido de morte). Foram 41 vítimas nos primeiros três meses deste ano e 62 no mesmo período do ano passado.

De acordo com o ISP, o número de roubos de veículos também apresentou queda em 2010. Foram 5.726 ocorrências de janeiro a março de 2010 e 7.504 nos primeiros três meses de 2009, uma redução de 23,7%.

Outro item que teve decréscimo foi os roubos de rua (categoria que engloba roubos a pedestres, de telefones celulares e em ônibus). Segundo o ISP, foram 20.495 registros nos três primeiros meses de 2010 contra 23.812 em 2009, uma queda de 13,9%.

As estatísticas do ISP indicam ainda que caíram os registros de mortes em confrontos com a polícia, os chamados autos de resistência. De janeiro a março deste ano, o ISP informa que foram 220 ocorrências, contra 272 no mesmo período de 2009. 

O ISP informou ainda que os roubos de residência também apresentaram diminuição este ano. De janeiro a março foram 387 casos contra 417 nos primeiros três meses de 2009.

Os roubos a estabelecimentos comerciais tiveram, entre janeiro e março, 76 registros a menos do que o mesmo período de 2009. O único aumento entre as categorias principais foi nos roubos de carga, que tiveram 48 casos a mais do que no ano passado.

Outro item que teve aumento foi os sequestros-relâmpagos, classificados pelo ISP, como extorsão com momentânea privação de liberdade. Foram 15 registros entre janeiro e março de 2009 e 24 este ano.

Procurada pelo R7 para comentar os números, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública informou ainda não saber se a pasta irá se pronunciar.

O sociólogo Ignácio Cano, do Laboratório de Análise de Violência da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), afirmou que o percentual de queda no número de homicídios foi importante mas disse ser prematuro ainda saber quais foram as razões para a redução.