Por Wal Cordeiro

 De tempos em tempos, na história de qualquer nação, surge algum tipo de fenômeno sociológico. Que pode ser trazido, ou apresentado, por algum elemento da natureza (bonança ou escassez); pode ser refletido por decisões tomadas (por aqueles que têm o poder nas mãos. O povo detém esse poder, a cada dois anos, apenas no dia das eleições) a favor ou contra os interesses e necessidades da plebe; pode ser uma obra do acaso, ou várias combinações de elementos que proporcionem os resultados esperados ou indesejados por todos. Quando me refiro a todos, digo seres humanos, pois existem alguns que são seres, mas não são humanos.

Lula não é diferente, ele é povo, é humano, um fenômeno, o admiro muito pela perseverança. Ele é a expressão da maioria sofredora (principalmente os nordestinos que já não conseguem viver mais no Nordeste) que em poucos momentos da história brasileira teve alguém que se identificasse tanto com os anseios mais simples da sobrevivência humana, ou uma voz que ecoasse nos bastidores do Palácio do Planalto. Por se tratar de um fenômeno, até a sua ríspida fisionomia se identificou com a da maioria sapecada pelo causticante sol da caatinga, a sua mão calejada que aperta a de milhões de trabalhadores que não tem dinheiro para comprar uma pomada amenizadora que corta o ardor noturno dos calos. Maioria essa que não conhece o poder que está em suas mãos, por isso a minoria rica detém esse poder até hoje, e Lula não conseguiu reverter isso.

Para entendermos melhor o significado da palavra fenômeno e compreendermos Lula do Brasil, vamos recorrer à Aurélio, que explana:

A palavra vem do grego: phainómenon, pelo latim tardio phaenomenon, que significa: “Fato, aspecto ou ocorrência passível de observação; fato de interesse científico, suscetível de descrição ou explicação; fato de natureza moral ou social, ou pessoa que se distingue por algum talento extraordinário”.

Aurélio ainda nos ensina que sociologia significa:

“Estudo objetivo das relações sociais, i. e., das relações que só se estabelecem com fundamento na coexistência social, as quais se concretizam em normas, leis, valores e instituições consciente ou inconscientemente incorporadas pelos indivíduos que constituem a sociedade”.

Então, podemos concluir que fenômeno social, ou sociológico em relação a Lula é traduzido como: “Um nordestino inteligente, de pouco estudo e estatura, batalhador, negociador e carismático, que saiu das camadas sociais mais pobres do Brasil a fim de lutar em São Paulo, em defesa dos trabalhadores, para que os seus ideais e da maioria fossem realizados, culminando na sua chegada à Brasília, e quem sabe num futuro bem próximo às Nações Unidas”.

Porém, vai um alerta! Lula é ele mesmo, e qualquer outro que queira imitá-lo não vai consegui, pois um fenômeno social acontece de tempos em tempos. O que ele conquistou, está conquistado, então o novo momento que a nação brasileira vai viver a partir de 2011 será outro.

O eleitor brasileiro vai precisar ficar muito atento com a decisão que vai tomar na hora do voto (Lembre-se: o único dia que detém o poder), pois Lula não será candidato, então não haverá um fenômeno social no próximo pleito. Isso voltará a acontecer quem sabe daqui a mais ou menos cem anos.

Nas próximas eleições esperamos que aconteçam, apenas, debate de idéias e apresentação de programas de governo. Esperamos que seja eleito aquele presidente que está mais bem preparado para assumir e governar o Brasil.

Nunca podemos esquecer que Lula é ele mesmo. Implantou e realizou vários programas sociais relevantes para à nação, porém, Lula é ele mesmo. Não podemos confundir as coisas e acharmos que ele tem a obrigação de fazer um sucessor. Talvez isso até aconteça, mas não é a regra sociológica, é a exceção política. Lula é Lula, e vejo uma grande diferença entre ele e Dilma, basicamente em todos os aspectos sociológicos, então Lula é Lula, Dilma é Dilma e jamais conseguirá ser Lula. Dá a impressão que Marina se parece mais com Lula, porém Marina é Marina e Lula é Lula, e cada um segue o seu destino. E o destino do povo mais uma vez ficará nas mãos de poucos.

Deus salve o Brasil!!!!!