da Efe, em Bruxelas
da Reportagem da Folha

A expansão da nuvem de cinza vulcânica expelida a partir da Islândia está provocando neste sábado “atrasos substanciais” nos voos entre a América do Norte e a Europa, informou a Agência Europeia para a Segurança na Navegação Aérea (Eurocontrol).

Os atrasos se devem principalmente às rotas alternativas que os aviões devem fazer para evitar as áreas afetadas pela nuvem no Atlântico.

A área atingida pelas cinzas se estende da Irlanda, no norte, até Portugal, no sul. A redução do espaço aéreo disponível está afetando os voos com saída ou chegada na península Ibérica, por isso que podem ocorrer atrasos em toda essa região, segundo um comunicado de Eurocontrol.

Na Espanha, a evolução da nuvem procedente da Islândia obrigará o fechamento de dezesseis aeroportos neste sábado.

Aeroportos das cidades de Barcelona, na Espanha, e Marselha, na França, estão fechados por causa da nuvem.

As erupções do vulcão islandês estão provocando uma expansão da zona afetada, especialmente em alturas abaixo dos 20 mil pés, assinalou a agência europeia na nota.

Para hoje, a expectativa é que ocorram 25 mil voos no espaço aéreo europeu.

Portugal

Aeroportos de Portugal (ANA) confirmaram a suspensão de 104 voos no país devido à evolução da nuvem de cinzas do vulcão.

O aeroporto de Faro, situado na turística região do Algarve, cancelou 50 voos; o de Francisco Sá Carneiro, do Porto (norte), 36; e o de Lisboa, o maior de Portugal, suspendeu outros 18, segundo fontes de ANA.

A suspensão das rotas afeta as partidas e as chegadas também provoca atrasos, acrescenta o organismo.

Além disso, segundo a Navegação Aérea de Portugal (NAV Portugal), a nuvem de cinzas vulcânicas está na área norte da região de informação de voo de Lisboa, e sua densidade forçou a criação de uma “área de proibição de voo” até os 35 mil pés (cerca de 10 quilômetros).

Autoridades portuguesas prevêem que a situação se normalize a partir das 19h (15h de Brasília).

Irlanda e Reino Unido

Alguns aeroportos do Reino Unido e Irlanda também podem sofrer novos transtornos entre este domingo e o final da próxima semana em consequência da nuvem de cinzas do vulcão islandês, segundo o Escritório Meteorológico Britânico.

A reativação da atividade do vulcão islandês fez com que, no início da semana, as cinzas alcançassem uma altura entre 6,1 a 9,1 quilômetros, de acordo com dados publicados pelo escritório.

Os ventos do norte que sopram no Reino Unido poderiam aproximar a coluna de cinza da Irlanda e do oeste da Escócia no domingo ou durante a semana, explicou um porta-voz do escritório à agência de notícias britânica Press Association (PA).

O vulcão islandês Eyjafjallajokull entrou em erupção no dia 14 de abril, expelindo uma nuvem de cinzas que paralisou o tráfego aéreo da Europa por uma semana. A emissão de cinzas diminuiu e os ventos permitiram a reabertura dos aeroportos e a retomada dos voos na região.

O fechamento de boa parte do espaço aéreo europeu, devido ao risco imposto pela nuvem de fumaça vulcânica, causou o cancelamento de mais de 100 mil voos e prejudicou 10 milhões de passageiros. A Comissão Europeia, órgão executivo da União Europeia (UE), estimou o prejuízo entre 1,5 bilhão de euros (R$ 3,5 bilhões) e 2,5 bilhões de euros (R$ 5,8 bilhões).