A TARDE On Line

O Ministério Público da Bahia (MP) envia nesta sexta-feira, 7, uma equipe com cinco pessoas para Vitória da Conquista. O objetivo é garantir a continuidade das investigações do órgão sobre o envolvimento de dez policiais militares na morte de 11 pessoas e desaparecimento de três adolescentes.

A medida foi tomada após a promotora Genísia de Oliveira denunciar que estava sendo ameaçada e seu marido sofreu um atentado em consequência do seu trabalho na força-tarefa que apura o caso.

Os policiais militares José Benjamim da Purificação e Leônidas Sena Farias, membros da Assistência Militar do MP, viajaram de manhã para Vitória da Conquista. No turno da tarde, seguem para lá o coordenador do Núcleo de Inteligência Criminal (NIC), o promotor de Justiça Luís Cláudio Cunha Nogueira, o assessor-especial do Procurador-Geral de Justiça, promotor de Justiça José Vicente Lima e o chefe da Assistência Militar do Ministério Público, tenente coronel Miguel Angelo Silva Oliveira.

O comandante de policiamento da Regional Sul da PM, coronel Ivo Silva Santos, e integrantes do Batalhão de Choque e da Companhia Especial da Polícia Militar também estão na cidade para reforçar a segurança no município.

Os crimes em Vitória da Conquista começaram após a morte do soldado Marcelo Márcio Lima.