CORREIO

A votação do projeto de lei que prevê reajustes salariais e mudanças na estrutura da PM foi adiada ontem, depois de um acordo fechado entre deputados estaduais do governo e da oposição. O adiamento foi pedido pelo deputado Tadeu Fernandes (PSB), para tentar convencer o Executivo a aprovar emendas de autoria do parlamentar.

“A PM não foi contemplada do jeito que merece”, disse Fernandes. Entre as propostas que serão negociadas, estão a gratificação de periculosidade, auxílio acidente e a redução de tempo de aposentadoria de 35 para 30 anos para as mulheres da PM.

O deputado destaca que houve avanços, como a equiparação da Gratificação da Atividade Policial entre ativos e os da reserva, reajustes que, em média, somam 13,7% e a possibilidade de que soldado vire sargento semcumprir o prazo de sete anos como cabo. A previsão é de que o projeto seja votado na Assembleia na tarde da próxima terça-feira.