Priscila Trindade, da Central de Notícias

SÃO PAULO – A Justiça Militar decretou nesta quarta-feira, 28, a prisão temporária de 12 policiais militares acusados de envolvimento no caso do motoboy morto na zona norte de São Paulo.    

 

Eduardo Luís Pinheiro dos Santos, de 30 anos, foi assassinado no dia 9 dentro de um quartel. Ele teve traumatismo craniano e hemorragia.

Testemunhas disseram que Santos foi torturado, espancado e humilhado no quartel. Outros nove policiais suspeitos de envolvimento na morte estão presos administrativamente.

Crime

No dia 9 de abril, o motoboy discutiu com outros três homens por causa do roubo de uma bicicleta quando duas viaturas chegaram no local. Um PM teria dado um soco em Santos, que revidou a agressão. Em seguida, o motoboy foi algemado, e levado para o quartel. Santos foi levado ao Pronto-Socorro de Santana, mas chegou morto no hospital.

Estadão