Mais de R$ 600 mil de negócios realizados, público estimado em 35 mil pessoas, incluindo produtores, comerciantes, visitantes e estudantes e a participação de mais de 600 animais de raça. Esse é o balanço da 1a Exposição Agropecuária de Planalto (ExpoPlanalto), de 22 a 25 de abril, no parque de exposições José Marivaldo Calasans Neto Costa, inaugurado durante o evento. Com o objetivo de promover o desenvolvimento agropecuário na região de Vitória da Conquista, o Governo do Estado, através da Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri) apoiou a ExpoPlanalto, especializada em cavalos Mangalarga e Mangalarga Marchador.”A região está inserida no forte pólo agropecuário com grande potencial agrícola e diversidade de solo. A realização de uma exposição é importante para mostrar o que há de melhor no município para outras regiões”, afirmou o secretario Estadual da Agricultura, Eduardo Salles, durante visita a ExpoPlanalto no sábado (24). “Além disso, é um marco para o município de Planalto entrar no calendário oficial de exposições do estado”, disse Salles.

Exibição de bovinos das raças Guzerá, Holandesa e Gir leiteiro, vendas de animais de curral, máquinas e implementos agrícolas, concurso leiteiro, julgamento de raças, rodeios, copa de marcha cavalo de passeio e shows artísticos fizeram parte da programação. “A ExpoPlanalto está sendo realizada para oferecer conhecimento à população, através da realização de minicursos e palestras. O principal é usar a política como instrumento para trazer recursos ao município e qualidade de vida para população”, disse o prefeito Edílson Duarte (Dico), que também agradeceu a presença do secretário Eduardo Salles na região.

AÇÕES

Para incentivar a melhoria da cultura do café e outras culturas, foi realizada a 1ª Semana da Agricultura Familiar durante a ExpoPlanalto. Minicursos, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), abordaram a importância da produção do café de forma ecologicamente correta, subprodutos da mandioca, conservas (aproveitamento de legumes e frutas), fabricação de licor e doces de frutas típicas da região, como maracujá, acerola, laranja, jaca, abacaxi e laranja. Para o agricultor Romildo Trindade, o curso de conservas de frutas vai incrementar a renda familiar, “pois eu planto café e tenho animais, como gado, porco, galinha e aqui aprendi algo diferente”, afirmou. As palestras abordaram temas sobre linhas de financiamentos pelo Banco do Brasil, meio ambiente, mandiocultura, pecuária leiteira e produção agropecuária. “A palestra trouxe conhecimento sobre mandiocultura para colocar em prática nas nossas propriedades”, explicou o tesoureiro e da Associação do Pequeno Produtor de Casteliano, Romeu Lima. Os setenta integrantes utilizam a casa de farinha comunitária, equipada com dois fornos para torrar o produto, vendido em Poções e na região.

Além disso, todos os animais foram inspecionados pela Seagri/Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), quando foram exigidos a Guia de Trânsito Animal (GTA), certificados de sanidade e disponibilizados médicos veterinários e auxiliares de fiscalização durante o evento.

FEIRA HOJE