Os baianos já podem começar a preparar o bolso para pagar um pouco mais nas contas de água e luz nas próximas semanas. No caso da energia elétrica, o reajuste aprovado para residências é de 5,26% e passa a vigorar a partir desta quinta-feira. Já a água ficará 6,91% mais cara a partir do dia 1º de maio.

As medidas vão atingir 4,7 milhões de consumidores da Coelba e quase 2,6 milhões de consumidores que contam com serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Embasa. Na opinião da presidente do Sindicato das Donas de Casa, Selma Magnavita – que já ocupou a presidência do Conselho de Consumidores de Energia -, reajustes como esse sempre implicam no planejamento financeiro das famílias. “Por mais que seja uma coisa que acontece todo ano, ainda tem gente que será pego desprevenido”, avalia.

Quem não gostou de saber do aumento foi a aposentada Maria Neves Santos. Moradora do bairro do Imbuí, ela lembra que no conjunto residencial onde mora faltou energia por pelo menos três vezes no mês passado. “Pelo serviço que oferecem, não acho que merece cobrar mais caro. Espero que esse aumento se reverta em melhor qualidade no atendimento’, alfineta a aposentada.

Já o motorista Luiz Teixeira diz estar acostumado com aumentos. “Todo ano é assim, tudo sobe”, conta Teixeira, que paga uma média de R$ 80 de tarifa de energia e R$ 50 de água e esgoto. Ele contabiliza desembolsar cerca de R$ 5 a mais na primeira e quase R$ 4 na segunda.

Impacto
Com o reajuste aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o usuário que pagava R$ 113,51 pelo consumo de 234 quilowatts terá um acréscimo de R$ 5,97 na conta. De acordo com o superintendente comercial da Embasa, Márcio Lessa, o reajuste é referente ao saldo remanescente do ano passado, mais a correção, e será aplicado a todas as faixas de consumo.

Existem três faixas de consumo. A primeira é a da Tarifa Social, que passa a pagar R$ 6,45 por até 10 metros cúbicos. Com o aumento do consumo, esse valor cresce de acordo com uma tabela progressiva. No caso do Residencial Intermediário, o custo dos 10m³ iniciais é de R$12,70. Para o Residencial Normal, agora é de R$13,75.

Estes valores referem- se apenas ao serviço de água, sendo acrescido 80% à tarifa em caso de esgotamento sanitário. “O reajuste será integral, mas a cobrança na próxima conta será proporcional. O aumento só vai incidir no que for consumido a partir do dia 1º de maio”, informou o superintendente da Embasa.

Anual
O reajuste dos dois serviços públicos é anual. No ano passado, a água ficou, em média, 9,46% mais cara, enquanto a luz subiu 5,58%. Este ano, o aumento concedido pela Aneel foi inferior ao percentual reivindicado pela Coelba, que foi de 8,29%.

Além dos reajustes anuais, o consumidor tem que arcar ainda com as revisões tarifárias, que ocorrem a cada quatro anos. Ao calcular os índices de reajuste, a Aneel considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência.

Os percentuais aprovados de reajuste para energia elétrica refletem, entre outros fatores, a variação do IGP-M, índice previsto no contrato de concessão para mensurar a inflação no período; o aumento do custo de encargos do setor, como a Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), e os gastos com os subsídios de irrigação, aquicultura, fontes incentivadas e baixa renda. Já o da água, a Comissão de Regulação dos Serviços Públicos de Saneamento Básico do Estado da Bahia (Coresab) aplica metodologia própria.

Entenda sobre a tarifa
O que é a tarifa de energia ?
É a composição de valores calculados que representam cada parcela dos investimentos e operações técnicas realizados pelos agentes da cadeia de produção e da estrutura necessária para que a energia possa ser utilizada pelo consumidor.

Tarifa significa o mesmo que preço da energia pago na conta mensal de luz?
Não. A conta de luz de cada consumidor contém o preço final, que é a tarifa definida pela Aneel, mais os impostos não incluídos nos custos da energia elétrica, como ICMS, PIS e Cofins.

Qual é o valor adequado para a tarifa de energia elétrica?
A tarifa deve ter o valor necessário para garantir o fornecimento de energia, assegurar aos prestadores de serviços ganhos suficientes para cobrir os custos operacionais eficientes, remunerar adequadamente os investimentos necessários para a expansão da capacidade e garantir a qualidade de atendimento.

O que é o reajuste tarifário anual?
Ele tem por objetivo repassar os custos não gerenciáveis e atualizar monetariamente os custos gerenciáveis. O reajuste acontece anualmente, na data de “aniversário” do contrato de concessão.

A revisão tarifária é obrigatória?
Sim. Está prevista em lei e nos contratos de concessão assinados entre as distribuidoras e a União.

Como economizar na luz
Ar-condicionado

O condicionador de ar é um dos eletrodomésticos de maior consumo de energia. Utilize-o apenas o estritamente necessário. 

Chuveiro
O chuveiro elétrico é responsável por cerca de 25% do consumo de uma residência. Limite seu tempo debaixo da água quente ao mínimo indispensável. 

Televisão
Não deixe o televisor ligado sem necessidade. Não durma com o aparelho ligado. 

Geladeira
Coloque a geladeira em local ventilado, afastada de paredes, fora do alcance dos raios solares e distante de fogões e estufas. 

Lâmpada
Evite acender durante o dia, utilizando melhor a iluminação natural.

Correio