Após deixar a Superintendência da Policia Federal, o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (sem partido) seguiu para sua casa, localizada no setor de mansões Park Way, área nobre de Brasília. Ele estava preso desde o dia 11 de fevereiro e foi solto após decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

José Cruz/Agência Brasil
Após dois meses, José Roberto Arruda deixa prisão acompanhado da mulher
Após dois meses, José Roberto Arruda deixa prisão acompanhado da mulher

Ele abriu as portas de sua casa para cerca de 30 pessoas –entre manifestantes e correligionários- que o esperavam na porta. Dentro de casa, Arruda deu as mãos aos apoiadores e fez com eles uma oração.

Um dos apoiadores, que não quis se identificar, disse que o objetivo da oração era agradecer a Deus pela liberdade de Arruda.

Arruda foi preso pela tentativa de suborno do jornalista Edson Sombra, testemunha do processo que investiga o esquema de corrupção no Distrito Federal.

Saída da prisão

Com a cara fechada e a barba por fazer, Arruda saiu da PF acompanhado da mulher, Flávia. Na saída da PF, manifestantes e correligionários do ex-governador bateram boca. Houve um princípio de tumulto. Os apoiadores de Arruda cercaram o carro onde ele eestavam começaram a rezar e tentaram impedir a imprensa de fotografá-lo.

Arruda recebeu a visita do ex-chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, acusado de ser o operador do mensalão.

O irmão da mulher de Arruda, Fábio Peres, pediu aos jornalistas para que saíssem da frente da casa do ex-governador. “Ele está bem e está em casa. Graças a Deus, acabou, afirmou. A grade da casa foi protegida por panos.

Folha