Com o objetivo de expandir o atendimento de 37,93% para 57,5% da população baiana, beneficiando cerca de 8,11 milhões de pessoas, mais 67 vermelhinhas que salvam vidas, como são conhecidas as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-192), foram entregues nesta manhã de terça-feira (6). Na cerimônia, o governador Jaques Wagner confiou simbolicamente as chaves de cinco veículos aos prefeitos, no estacionamento da Secretaria de Saúde (Sesab), no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

São 66 municípios contemplados, por meio de projetos elaborados e aprovados em 2008 e 2009, que abrangem seis microrregiões, que têm como sedes os municípios de Teixeira de Freitas, no extremo-sul, Brumado, no Sudoeste, Barreiras, no oeste baiano, e Juazeiro, Senhor do Bonfim e Paulo Afonso, estas últimas compõem a macrorregião norte. Das 67 novas ambulâncias, nove já estão nos municípios de Rio do Pires, Botuporã, Ibicoara, Ibipitanga, Jussiape, Malhada de Pedras, Rio de Contas, Abaré e Ipupiara.

As novas ambulâncias do Samu irão ampliar o número de sedes regionais de cinco, nas cidades de Salvador, Camaçari, Bom Jesus da Lapa, Guanambi e Paulo Afonso, para onze, com a inclusão das unidades de Barreiras, Ibotirama, Teixeira de Freitas, Brumado, Juazeiro e Senhor do Bonfim. Os projetos para implantação das sedes regionais foram montados por técnicos do Estado e encaminhados para aprovação junto ao Ministério da Saúde. Os projetos acompanham a política de investimentos na regionalização de hospitais e é parte fundamental da rede de saúde que está sendo implantada atualmente na Bahia.

Parceria
“O espírito do Sistema Único de Saúde (SUS) só existe nessa parceria entre governos federal, estadual e municipal. O dono desse momento é o movimento da sociedade civil brasileira, o movimento sanitarista, que, há 30 anos, luta para edificar nesse país o SUS”, disse Wagner. Ainda segundo o governador, até o final do ano, a expectativa é de beneficiar 73% da população baiana. Segundo informações da Sesab, a estimativa é que até o final de 2010 cerca de 10,3 milhões de baianos tenham acesso ao Samu.

Fruto de uma parceria entre governos municipais e estadual, a ampliação do serviço foi planejada por meio de sucessivas negociações que pactuaram a atual arquitetura do programa no Estado. O governador destacou ainda que o Samu é parte integrante da cadeia que se inicia com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS), com postos de Saúde da Família e termina nos serviços de alta complexidade, oferecidos nos hospitais Geral de Salvador, da Criança de Feira de Santana, de Irecê, Juazeiro e Santo Antônio de Jesus.

“Saúde é cara. No próximo ano, o Congresso Nacional terá que pensar como fazer o financiamento público da saúde”, afirmou Wagner, dizendo que o corte da CPMF está trazendo dificuldade para a saúde nacional e reduziu a verba que era possível ser alocada no Ministério da Saúde. “Agora, é um desafio para a nova legislatura de saber como pensar o refinanciamento da saúde. Quem paga imposto é quem pode. E quem utiliza o SUS é quem não pode. Portanto, isso é uma questão de justiça tributária e social”, refletiu Wagner.

Incremento
Para o secretário de Saúde, Jorge Solla, são mais 1,77 milhão de baianos assistidos pelo programa. “A ampliação do serviço, em parceria com o Ministério da Saúde e prefeituras, oferece gratuitamente um serviço de atendimento pré-hospitalar, o indivíduo, na via pública ou em sua residência, tem uma assistência imediata, além de receber orientações de como proceder, onde levar o paciente e até receber uma UTI móvel, com médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, e com assistência mais qualificada para um paciente crítico”, revela.

Samu 192 reduz número de óbitos e sequelas

O Samu é o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências, que tem como finalidade o atendimento rápido e imediato diante de emergências. A proposta é contribuir para a redução do número de óbitos, do tempo de internação em hospitais e das sequelas decorrentes da falta de socorro precoce. O atendimento é realizado após chamada gratuita para o telefone 192. As ligações são atendidas por técnicos da Central de Regulação Médica, que identificam a urgência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador.

De acordo com o prefeito de Guajeru, Jorge Marques, que recebeu a primeira ambulância na cidade, a entrega dos novos veículos representa uma melhor qualidade de vida para a população. “Uma vez que nós não temos um suporte para situações de urgência e emergência, muitas vezes conseguíamos estabilizar o paciente na cidade, mas na hora de transportá-lo para um centro com estrutura mais evoluída, muitos morriam na estrada. Agora, teremos condições de manter esses pacientes até a chegada a um hospital de referência.”

AGECOM