IRAQUE – Até agora, o número de mortes nos ataques simultâneos em Bagdá é de cinco mortos e 140 feridos. Uma série de explosões – pelo menos seis – atingiram três regiões diferentes da capital. Um homem-bomba destruiu um restaurante no centro. Enquanto isso, em todo o país, líderes cristãos celebravam a Páscoa, pedindo “paz e reconciliação”. Em Kiruk, uma delegação de oficiais do governo e líderes muçulmanos foram aos cultos católicos de Páscoa.

De acordo com relatos preliminares, ocorreram seis ataques simultâneos, que tinham como alvo as áreas majoritariamente xiitas da capital. Muitas das vítimas eram civis, soterrados no choque entre dois prédios no distrito residencial de Shula, noroeste da capital. Um homem-bomba se explodiu em um restaurante próximo ao Ministério da cultura e à Embaixada Iraniana. Diversas áreas atingidas pelas bombas são fortalezas do exército de Mahdi, milícia ligada ao líder xiita Moqtada al Sadr.

Aconteceram ataques a outras Embaixadas próximas, onde 40 pessoas foram mortas e outras 200 ficaram feridas. Entre os alvos, as Embaixadas do Irã, Egito, Alemanha, Síria e Espanha. As vítimas são, em sua maior parte, civis, já que os bombardeadores se explodiram entre a população, pois não conseguiram alcançar os escritórios diplomáticos.

No entanto, a violência não impediu que os cristãos iraquianos celebrassem a Páscoa. Em Kirkuk, uma delegação de oficiais do governo e líderes muçulmanos estiveram presentes ao culto especial de Páscoa, um testemunho de solidariedade com a comunidade cristã.

Uma família muçulmana preparou pães para serem distribuídos a todos que estavam no culto. As crianças juntaram dinheiro e ofereceram aos pobres, inclusive muçulmanos. 
Portas Abertas