Não era futebol, mas um drible foi decisivo na decisão do melhor tempo desta sexta-feira de treinos livres para o GP da Austrália. Antes da segunda sessão, uma chuva rápida ameaçou molhar a pista, mas ainda a deixou em condições para o uso dos pneus slicks. Então, Lewis Hamilton tomou a decisão com a McLaren de colocar o composto macio e sair dos boxes rapidamente. O esforço rendeu dividendos: não foi um gol, mas a melhor volta do dia para o inglês, com 1m25s801.

Logo após a volta de Hamilton, a chuva apertou e tornou o asfalto impraticável para os slicks. Ele ficou 275 milésimos à frente de Jenson Button, seu companheiro, que completou a dobradinha da McLaren nesta sexta-feira com a segunda posição. O atual campeão da Fórmula 1, no entanto, só conseguiu marcar este tempo no fim do treino da tarde, quando a pista já estava mais seca, mas ainda longe do nível de aderência dos primeiros minutos da sessão.

O local Mark Webber, da RBR, conseguiu um excelente terceiro tempo, para delírio das cheias arquibancadas do circuito de rua montado no Albert Park. De quebra, o australiano ainda conseguiu superar, com folga, o companheiro Sebastian Vettel, que foi apenas o 15º desta sexta-feira, 12 posições e 1s4 atrás. O heptacampeão Michael Schumacher, da Mercedes, ficou em quarto e superou Nico Rosberg, o 11º, conhecido como “Rei das sextas-feiras”, no duelo do time alemão. Melhor da manhã, Robert Kubica, da Renault, conseguiu o décimo lugar.

Rubens Barrichello foi o melhor brasileiro do dia, com a nona posição nos tempos combinados das sessões. O piloto superou Nico Hulkenberg, da Williams, o 15º colocado, por seis posições. Na Ferrari, Felipe Massa ficou em 14º lugar, três postos à frente do espanhol Fernando Alonso, o 17º. Contudo, a equipe italiana optou por não forçar seus carros no chuvoso treino da tarde e os dois pilotos não chegaram a usar os pneus macios.

Lucas di Grassi e Bruno Senna, estreantes nesta temporada, continuam a sofrer com os problemas de suas equipes. Os dois marcaram tempos apenas no treino da manhã, enquanto à tarde o piloto da VRT sofreu com problemas na telemetria e ficou na 23ª posição do dia. Já o brasileiro da Hispania teve uma falha na bomba de combustível e foi apenas o 24º.

Confira os melhores tempos do primeiro dia de treinos em Melbourne:

1 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – 1m25s801 (35 voltas)
2 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – 1m26s076 (38)
3 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – 1m26s248 (44)
4 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – 1m26s511 (35)
5 – Vitaly Petrov (RUS/Renault) – 1m26s732 (51)
6 – Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) – 1m26s832 (50)
7 – Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – 1m26s834 (22)
8 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes) – 1m26s835 (35)
9 – Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) – 1m26s904 (43)
10 – Robert Kubica (POL/Renault) – 1m26s927 (50)
11 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – 1m26s956 (40)
12 – Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari) – 1m27s108 (38)
13 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – 1m27s455 (28)
14 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – 1m27s511 (39)
15 – Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth) – 1m27s545 (51)
16 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – 1m27s686 (42)
17 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – 1m27s747 (40)
18 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – 1m28s537 (25)
19 – Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) – 1m28s572 (64)
20 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth) – 1m29s860 (41)
21 – Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth) – 1m30s695 (30)
22 – Timo Glock (ALE/VRT-Cosworth) – 1m32s117 (17)
23 – Lucas di Grassi (BRA/VRT-Cosworth) – 1m32s831 (27)
24 – Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth) – 1m33s401 (24)
25 – Karun Chandhok (IND/Hispania-Cosworth) – 1m34s251 (20)

Globo Esporte