Logo após as negociações da União Europeia, a moeda única voltou a cair frente ao dólar ontem, quebrando a barreira de US$ 1,33, seu novo recorde negativo em 10 meses. O novo solavanco da divisa no mercado de câmbio ocorreu depois do pronunciamento do presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, que criticou o acordo franco-alemão para inclusão do Fundo Monetário Internacional (FMI) no mecanismo de socorro a países em crise.

A reunião dos 27 chefes de Estado e de governo no Conselho Europeu já estava em andamento quando Trichet afirmou às TV francesas LCP e Public Sénat: “Tudo o que vai no sentido da ‘desresponsabilização’ dos membros da zona do euro é ruim na minha visão”. E emendou: “Se o FMI ou qualquer outra instância que seja exerce responsabilidades no lugar do Eurogrupo (o grupo de 16 países que adotam o euro), no lugar dos governos, isto é evidentemente muito, muito ruim.” O resultado foi imediato. O euro caiu nos minutos que se seguiram a US$ 1,3286. O valor da moeda única comparada ao dólar é o mais baixo desde maio de 2009.

Último Segundo