Só depois dos depoimentos, defesa deve decidir se quer fazer acareação com mãe de Isabella

 

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados de matar a menina Isabella, serão ouvidos pelos sete jurados nesta quarta-feira

 O quarto dia de julgamento do caso Isabella, previsto para iniciar às 9h desta quinta-feira (25), começa com o interrogatório do casal Nardoni, acusados de jogar a menina do sexto andar de um prédio. A ordem dos depoimentos deve ser definida no início desta manhã.

 Na tarde de quarta-feira (24), o advogado de defesa Roberto Podval decidiu dispensar as 11 testemunhas que tinha convocado para depor, exceto Ana Carolina Oliveira, a mãe da vítima. Ela já foi ouvida, mas o defensor disse que quer ter o direito de fazer uma acareação entre ela e os réus se achar necessário.

Desde o início do julgamento, na segunda-feira (22), apenas sete das 23 testemunhas que foram chamadas tanto pela acusação quanto pela defesa foram ouvidas. O relato da perita criminal Rosângela Monteiro durou mais de cinco horas na quarta-feira.

Podval criticou as explicações dadas pela perita sobre as conclusões do laudo. A especialista disse, com base em evidências colhidas na cena do crime, que Alexandre Nardoni jogou a filha do sexto andar. Entre as evidências, ela citou testes que reproduziram como o suspeito teria arremessado a criança através da tela de proteção.

– Não fiquei confortável com a explicação que me foi dada. Condenar alguém por isso me parece muito equivocado.

O advogado do casal afirmou que desistiu de ouvir a maior parte das testemunhas que convocou porque a defesa poderia ficar prejudicada, uma vez que os jurados vão se cansando e podem não ficar tão “dispostos” a ouvirem com atenção os argumentos dele e sua equipe.

Sequência

Se o interrogatório do casal terminar ainda nesta quinta-feira e o advogado de defesa não quiser fazer a acareação dos réus com a mãe da vítima, serão iniciados os debates da defesa e da acusação.

Após o final da apresentação dos argumentos das partes, o juiz consulta os jurados sobre as dúvidas e formula as perguntas que eles devem responder sobre o crime. Essas sete pessoas se reúnem então em uma sala secreta para votação. A sentença é o último passo. A previsão é que julgamento termine na sexta-feira (26).

R7