Flamengo x Tigres

O atacante Adriano compareceu nesta quinta-feira à 22ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro, no bairro da Penha. Ele prestou depoimento durante aproximadamente duas horas para esclarecer a compra de uma moto que teria sido presenteada a Paulo Rogério de Souza Paz, traficante conhecido pelo apelido de Mica.

Adriano chegou à delegacia por volta das 11h30 e entrou sem falar com ninguém. Do lado de fora, cerca de 100 crianças se aglomeraram para saudar a chegada do jogador do Flamengo: “Uh, é Adriano”, gritavam elas, como se estivessem no estádio.

A saída do jogador, por volta de 13h15, foi bastante confusa e quase quebrou a porta de vidro que dá acesso à delegacia. O jogador, mais uma vez, passou em silêncio, entrou direto no carro e foi embora sem falar com a imprensa.

A polícia investiga a compra da moto, que está avaliada em R$ 35 mil reais. Inicialmente, o veículo foi registrado no nome de Marlene Pereira, mãe de Mica, e teria sido um presente do jogador ao traficante, de quem é amigo de infância. Marcos José de Oliveira, amigo do jogador, foi responsável pela compra da moto e por buscá-la na loja.

Na quarta-feira, Marlene compareceu à delegacia e também prestou depoimento. Ela é analfabeta e alegou que jamais assinou qualquer documento referente à compra da moto. Confirmou apenas que conhece Adriano desde pequeno, mas não sabe se atualmente ele mantém relação de amizade com Mica.

Segundo Henrique Maxchado, advogado de Marlene, a polícia tem uma versão para o fato de a moto estar no nome de sua cliente. “Houve uma fraude, segundo o delegado. Uma moto foi colocada em seu nome sem ela saber e já foi passada para outra pessoa”, disse o advogado.

IG ESPORTES