Ascom PMDB Bahia

Policiais civis e militares vão sair às ruas em Salvador, no próximo domingo, numa manifestação contra a política de segurança pública do Governo Wagner e a favor da paz. A notícia foi divulgada nesta quarta-feira (17) pelo site Política Livre, que entrevistou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindcop), Carlos Lima. O sindicalista, de acordo com nota publicada na edição de terça-feira (16) do Jornal A Tarde, está sendo perseguido pelo governador, em função da sua defesa intransigente em favor da categoria que representa.

A manifestação está marcada para começar às 9h, no Campo Grande. Vestidos de branco, os policiais seguirão em passeata até o Farol da Barra. O objetivo é chamar a atenção da sociedade para a crise enfrentada pela segurança pública na Bahia. A previsão do presidente do Sindcop é de reunir 3 mil policiais.

Na nota publicada no Jornal A Tarde, sob o título “Quem interessa a morte da Polícia Civil do Estado da Bahia?”, o Sindcop denuncia o governo pelo que considera “esfacelamento da segurança pública, atribuindo-lhe culpa exclusiva pelo “alto índice de criminalidade que hoje impera na sociedade baiana”. Também chama a atenção para “a propaganda que tenta atribuir ao crack a responsabilidade” pelo problema.

Denuncia também a perseguição movida pelo governador Jaques Wagner contra o presidente da entidade, que hoje enfrenta cerca de 250 processos administrativos disciplinares e até mandado de prisão, por conta das posições assumidas contrária a ineficiência da política de segurança pública e em favor dos policiais civis e militares.

“É essa a verdadeira cara da atual gestão: tapinhas nas costas em frente à imprensa e facada na calada da noite. Um governador ex-sindicalista que pede a prisão de um sindicalista”, diz a nota.

Clique na imagem e leia a íntegra do texto na ilustração

Jornal A Tarde, 16 de março de 2010