ISLAMABAD – Dois suicidas atacaram nesta sexta-feira veículos militares, com segundos de diferença, na cidade de Lahore, no leste do Paquistão, matando ao menos 39 pessoas. Cerca de cem ficaram feridas, informou a polícia.

É o segundo ataque em Lahore esta semana, uma indicação de que os rebeldes poderiam estar aumentando os atentados no Paquistão depois de semanas de calmaria.

– Seis agentes de segurança estão entre os mortos – disse Chaudhry Mohammad Shafi, oficial da polícia de alto escalão.

A área atacada foi Ra Bazaar, um bairro residencial e comercial onde há instalações de várias agências do Exército e de segurança. As emissoras de televisão paquistanesas mostraram forças de segurança por toda a área, enquanto pedestres levavam apressadamente os feridos para ambulâncias.

– Foi uma forte explosão. Vi fumaça por todo lado. Muita gente estava chorando – disse o morador Afzal Awan a canais de televisão.

Nenhum grupo se responsabilizou pelo ataque, mas a suspeita recaiu imediatamente sobre o Talibã paquistanês e a rede al-Qaeda.

Acredita-se que os rebeldes são responsáveis pelas dezenas de ataques ocorridos no Paquistão nos últimos anos, incluindo uma série de atentados que começou em outubro e matou cerca de 600 pessoas em várias semanas, em uma aparente represália por uma ofensiva do Exército contra os insurgentes ao longo da fronteira afegã.

Os ataques mais recentes tinham sido menores e restritos a regiões remotas do Noroeste, perto do Afeganistão, mas na segunda-feira, um suicida em um carro carregado com explosivos atacou um prédio em Lahore onde a polícia interrogava suspeitos. Ao menos 13 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas.

O Globo