O promotor de Justiça José Carlos Blat disse na quarta-feira que vai requerer o indiciamento criminal e denunciar à Justiça João Vaccari Neto por formação de quadrilha, estelionato, apropriação indébita e lavagem de dinheiro. Blat afirma que Vaccari Neto – atualmente tesoureiro do PT – cometou os crimes quando ocupou a presidência da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop), entre 2005 e 2010. Segundo o promotor, o rombo passou de R$ 100 milhões e parte foi para campanhas eleitorais do PT.

De acordo com a reportagem, o promotor vai ganhar reforço na investigação do cas – a partir desta quinta-feira a Bancoop será alvo de inquérito civil da Promotoria do Patrimônio Público e Social do Ministério Público. O jornal afirmou também que Blat planeja denunciar Ana Maria Érnica e Tomás Edson Botelho Fraga, que integravam a cúpula da Bancoop.

O Estado de S. Paulo