Os representantes dos partidos de oposição na Câmara dos Deputados entregaram nesta quarta-feira à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma representação contra a ministra-chefe da Casa Civil e o ex-ministro José Dirceu por suposto lobby para a empresa Star Overseas no processo de reativação da Telebrás.

Lideres do PSDB, DEM e PPS pedem à PRG que investigue a conduta de Dilma e Dirceu. Denúncias apontam o favorecimento ao ex-ministro e amigos com a utilização da rede Eletronet no Plano Nacional de Banda Larga. Dirceu teria recebido ao menos 620.000 reais da Star Overseas. O dinheiro teria sido pago entre 2007 e 2009 por Nelson dos Santos, dono da empresa.

Em 2005, Santos comprou pelo valor simbólico de 1 real participação na Eletronet, empresa com dívida de 800 milhões de reais. Caso o governo use os 16.000 quilômetros de fibras óticas da Eletronet para reativar a Eletrobras, Santos receberá 200 milhões de reais.

“Os fatos narrados sinalizam, sem dúvida, para a existência de uma contiguidade entre empresas privadas, representadas pelo ex-ministro José Dirceu, e o Palácio do Planalto, numa área de atuação direta de Dilma Rousseff”, diz o pedido.

A representação, assinada por Paulo Bornhausen (DEM-SC), João Almeida (PSDB-BA) e Fernando Coruja (PPS-RJ), pede à PGR que investigue a relação de empresas privadas com o Palácio do Planalto. Se evidenciada a infração, Dilma e Dirceu poderiam responder por crimes contra a administração pública, contra o mercado de capitais e por improbidade administrativa.
VEJA.COM