O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirmou nesta terça-feira, em Plenário, que encaminhará à mesa diretora do Senado um requerimento para que o Tribunal de Contas da União (TCU) realize auditorias nos fundos de pensão Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), Fundação dos Economiários Federais (Funcep) e Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), que repassaram recursos à Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) e que teriam sido desviados. “Especialmente porque é responsabilidade do Senado fiscalizar a aplicação dos recursos dos fundos de pensão. Mas o PSDB quer sugerir também convite às famílias lesadas”, afirmou. “Elas devem ser ouvidas. Temos o dever de ouvir essas famílias aqui no Senado Federal.”

Em matérias publicadas recentemente pela revista Veja e pelo jornal O Estado de S. Paulo, o promotor de Justiça José Carlos Blat aponta João Vaccari Neto como responsável por supostos desvios de recursos da Bancoop. O dinheiro teria sido usado para financiar campanhas eleitorais do PT e também desviado para benefício dos próprios diretores da cooperativa.

O senador disse que a ministra Dilma utiliza uma “estratégia delubiana” – em referência do ex-tesoureiro petista Delúbio Soares, acusado de envolvimento no escândalo do mensalão, em 2005 – quando anuncia a pretensão de separar as tesourarias do PT e da sua campanha à Presidência da República.

“Há uma indignação diante desse assalto ao dinheiro de famílias assalariadas que sonharam ter sua moradia e viram os recursos que conseguiram economizar sendo aplicados na campanha eleitoral de Lula ou enriquecendo outros mais próximos do presidente do PT”, afirmou.

Alvaro Dias assinalou que a Bancoop foi abastecida com recursos públicos oriundos dos fundos de pensão administrados pelo PT. Ele disse que basta verificar quem são esses dirigentes para confirmar que todos são ligados ao presidente Lula. O senador ainda observou que, desde ontem, os petistas desapareceram do Plenário e não foi possível estabelecer o contraditório.

A senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) disse, em aparte, que a fraude foi detectada em 2006 e, em 2007, foi aberto inquérito criminal, onde uma testemunha afirma que parte do dinheiro desviado foi usado para financiar a campanha de Lula em 2002. Ela rebateu declaração do presidente do PT, José Eduardo Dutra, que se recusa a discutir denúncia de “assunto requentado”.

O senador José Agripino (DEM-RN) disse que a fraude vem sendo denunciada desde 2006 e o Ministério Público apenas não chegou às conclusões finais, mas o PT não tomou qualquer providência.

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) disse que o PT acompanhará com atenção a elucidação do episódio e assinalou ser legítimo Alvaro Dias querer ouvir as autoridades sobre o caso.

Terra