SÃO PAULO – Uma rádio pirata que anunciava medicamentos de procedência duvidosa foi fechada nesta quinta-feira por policiais da Delegacia de Repressão a Crimes Cometidos por Meios Eletrônicos do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). Os policiais realizaram buscas na Penha, Zona Leste, e em Mairiporã, na Grande São Paulo. Segundo a polícia, o sinal da rádio causava interferência na comunicação entre a torre de controle do aeroporto de Cumbica, na Grande São Paulo, e as aeronaves.

A programação da rádio era produzida na rua Joel Carlson, onde as gravações eram inseridas um computador. O material acabava transportado para o estúdio instalado na rua Amorim Diniz. Os dois endereços ficam na Penha, Zona Leste. Utilizando um equipamento de link, o responsável transmitia o sinal para transmissores e antenas localizados na Mata Fria, na divisa entre São Paulo e Mairiporã, na Serra da Cantareira.

A central de vendas dos medicamentos, principalmente remédios para a impotência, ficava em uma casa na rua Laudemiro Ramos, no Centro de Mairiporã. Os policiais apreenderam vários medicamentos.

Em Mairiporã, um helicóptero teve de ser usado para içar o transmissor da rádio que tem cerca de 100 kg.

O Globo