O secretário de Governo e Comunicação de Porto Seguro, Edésio Ferreira Lima Dantas, 44 anos, deve se apresentar nesta terça-feira, 2, na delegacia de Porto Seguro, município a 709 km de Salvador, no extremo sul da Bahia. Junto com mais dois funcionários da prefeitura local, Edésio está com mandado de prisão preventiva em aberto, após ser acusado de participar do assassinato dos professores sindicalistas da APLB/Sindicato, Álvaro Henrique Santos, 28, e Elisney Pereira Santos, 31, em 17 de setembro de 2009.    

Apesar de ser considerado como foragido da Justiça pelo Ministério Público Estadual (MPE), o advogado do acusado, Gutemberg Vieira, defende que seu cliente não se apresentou na última segunda-feira, 1º, porque estava viajando. 

“Ele não está foragido. Estamos à disposição da polícia, para que ela faça o seu trabalho. Confiamos que os fatos serão esclarecidos e não faremos obstrução às investigações. Prisão preventiva é um último recurso, quando se obstrui as investigações, o que não vem ao caso”, argumentou.

O caso – Edésio Lima foi denunciado com mais três policiais militares (que se entregaram) e dois funcionários públicos municipais (ainda foragidos). Os mandados de prisão preventiva foram expedidos no dia 9 de fevereiro deste ano, pelo juiz da Vara Crime de Porto Seguro, Roberto Costa Freitas Júnior.

No entanto, a decisão do juíz só se tornou pública na manhã da última segunda-feira, 1°, por meio do promotor público Dioneles Leone Santana Filho, que fez a denúncia, juntamente com o promotor João Alves da Silva Neto.

Dioneles Filho disse que só tornou público que os mandados de prisão haviam sido expedidos porque, “estranhamente”, nenhum deles havia sido cumprido pela polícia. O promotor chegou a ir ao gabinete de Edésio Lima com dois PMs, na última segunda, para prendê-lo, porém, o secretário não estava mais no local.

O prefeito de Porto Seguro, Gilberto Pereira Abade (PSB), comprometeu-se a manifestar-se sobre o caso nesta terça. Ele disse que fará uma coletiva durante a tarde. Os PMs acusados são Sandoval Barbosa dos Santos, 37, Geraldo Silva de Almeida, 29, o “Geraldo Caveirinha” e Joilson Rodrigues Barbosa, 29. Eles se entregaram no quartel do 8º BPM, onde ficarão presos e à disposição da Justiça. Os servidores foragidos são Antônio Andrade dos Santos Júnior, 22, e Danilo Costa Leite, 24.

A Tarde