G1

O Paquistão aceitou entregar ao Afeganistão o número 2 da milícia Talibã, mulá Abdul Ghani Baradar, e outros militantes presos, disse o governo afegão em nota na quinta-feira (25). Islamabad não se pronunciou, mas na véspera informara que o mulá Baradar está sendo investigado por crimes no Paquistão e será julgado em primeira instância no país.

Três dirigentes do Taliban foram capturados neste mês no Paquistão, inclusive o mulá Baradar. A detenção dele foi vista com um grande feito dos serviços de inteligência e um sinal maior cooperação paquistanesa na luta contra militantes afegãos.

“O governo do Paquistão aceitou a proposta afegã para extraditar o mulá Baradar e outros talibans que estão sob sua custódia, e demonstrou prontidão em entregar esses prisioneiros (…) com base em um acordo entre ambos os países”, disse a nota da presidência afegã.

 Entre os outros presos estão Mawlavi Abdul Kabir, comandante do Taliban no leste afegão, junto à fronteira com o Paquistão, e os autointitulados governadores “à sombra” das províncias de Kunduz e Baghlan, no norte do Afeganistão, segundo o porta-voz presidencial Siamak Herawi. Os prisioneiros “são acusados de atos criminosos”, disse a nota.